Estados

  • Contato:
    (73) 99936-1132
    Luscivanio Lopes
  • Contato:
    (27) 99798-9398
    Luscivanio Lopes

Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias

China cancela eventos do Ano Novo Chinês; cidade de meio milhão de habitantes está fechada para conter coronavírus

China cancela eventos do Ano Novo Chinês; cidade de meio milhão de habitantes está fechada para conter coronavírus
23 janeiro 09:15 2020 Imprimir notícia
Mundo

Na cidade de Pequim (China), todas as cerimônias do Ano Novo Chinês e os principais eventos públicos foram cancelados devido ao surto de coronavírus. A decisão foi tomada pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Pequim para "priorizar a vida e a saúde das pessoas", informou o Beijing News.

A medida inclui feiras realizadas nos templos durante essas festividades, e até os cinemas suspenderam suas estreias. Até o momento, a doença já causou a morte de 17 pessoas e o fechamento de transportes públicos em outras cidades próximas ao local de origem do surto.

Por sua vez, a operadora ferroviária do país, China State Railway Group, anunciou que os passageiros podem receber reembolso total de seus bilhetes comprados em todo o país.

Cidade fechada

As autoridades chinesas fecharam a cidade de Chibi, a terceira a experimentar essas medidas na província central de Hubéi nas últimas 24 horas, devido a um surto do novo coronavírus, que já deixou pelo menos 17 mortos e infectou mais de 500 pessoas no país.

Horas antes, a suspensão do transporte de e para Wuhan e Huanggang foi anunciada. Os três locais estão na província de Hubéi.

"A partir das 00:00 do dia 24 de janeiro, o transporte público urbano será suspenso, assim como o transporte rural e provincial de passageiros. A data de retomada das operações será anunciada separadamente", disse o centro de prevenção e controle da infecção do novo coronavírus.

Em Chibi, cidade com cerca de meio milhão de habitantes, são implementadas medidas semelhantes às já impostas às grandes cidades - Huanggang, com mais de 6 milhões, e Wuhan, com mais de 11 milhões -, que implicam a suspensão do transporte.

Nessas cidades, pontos de verificação foram instalados para medir a temperatura e isolar, se necessário, os motoristas que entram ou saem dessas cidades.

Medidas
A Comissão Nacional de Saúde do país asiático acredita que a doença, que já deixou 17 mortos e mais de 500 infectados, pode sofrer mutações e se espalhar. Por isso, as autoridades chinesas proibiram temporariamente que mais de 11 milhões de habitantes da cidade de Wuhan, onde em dezembro passado o novo coronavírus se originou, saiam do local.

A rede de transporte local será fechada a partir das 10:00 (hora local) na quinta-feira. Além disso, o aeroporto e as estações de trem não estarão abertos para passageiros.

A Comissão Nacional de Saúde do país asiático acredita que esta doença, que já deixou mais de 500 infectados, pode sofrer mutações e se espalhar, uma vez que é transmitida pelo trato respiratório. É por isso que eles fazem uma série de recomendações para conter o vírus, incluindo desinfecção e ventilação em aeroportos, estações de trem e shopping centers, precisamente em uma semana em que centenas de milhões de pessoas viajam pelo país por ocasião do feriado do Ano Novo Lunar.

Como o surto evolui?
A pneumonia atribuída ao novo coronavírus não está associada a sintomas especiais: os pacientes têm febre, enquanto alguns têm dificuldade em respirar e seus raios-X mostram alterações nos pulmões.

Esta doença viral não é curada com antibióticos e seu tratamento é sintomático, sem focar na etiologia do mal. A OMS continua avaliando a gravidade da situação, apesar de não recomendar medidas específicas para as pessoas que viajam para a China. Também não é a favor de restringir as visitas a esse país asiático.

Embora a grande maioria dos infectados viva na província de Hubei, também houve casos em Pequim ou Xangai, com alguns casos detectados no Japão, Tailândia, Coréia do Sul e EUA, em pessoas que estavam em território chinês.

PORTAL SBN | COM INFORMAÇÕES DA RUSSIAN TODAY

 

 

Deixe seu comentário

SIGA-NOS