Estados

  • Contato:
    (73) 99936-1132
    Luscivanio Lopes
  • Contato:
    (27) 99798-9398
    Luscivanio Lopes

Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias

Pesquisa Eleitoral, do Instituto Perfil, já apontava vitória de Edmilson Meireles

Pesquisa Eleitoral, do Instituto Perfil, já apontava vitória de Edmilson Meireles
07 maio 21:24 2019 Imprimir notícia
Destaque Política

Numa Pesquisa Eleitoral, realizada nos dias 11 e 12 de Abril do corrente ano, o Instituto Perfil, já havia apurado o favoritismo do candidato Edmílson Meireles, que foi eleito prefeito ontem, na cidade de Irupi – ES. Município localizado na região do Caparaó, divisa entre ES e MG.

A eleição em Irupi, foi anulada pelo TER-ES, e a justiça determinou que fosse feita uma nova eleição, em 05 de maio (ontem).

Na eleição realizada ontem, Edmílson Meireles (MDB) obteve 60,85% dos votos, contra 39,15% do seu oponente, Raphael Fonseca (PSL).

Na Pesquisa realizada há 23 dias antes do pleito, considerando apenas os votos válidos, o Instituto Perfil apurou Edmílson com 68,84%, enquanto Raphael aparecia com 31,16%. Foram ouvidas na ocasião 363 eleitores, em todos os setores da cidade, e a margem de erro do projeto de pesquisa era de 3,89%, para mais ou para menos.

Apesar do percentual de vitória do candidato do MDB, ter diminuído cerca de 8%, o Instituto, através do seu diretor e pesquisador, Erasmo Lima, pondera: “Era algo que poderia acontecer, quem está com relativa vantagem, as vezes, na reta final tira um pouco o pé do acelerador (gerando assim menos despesa de campanha), enquanto que o oponente faz, justamente o contrário, pisa mais fundo, buscando tirar a diferença na reta final, isso inclusive, vez por outra, pode dar certo. Mas, neste caso específico de Irupi, era bem pouco provável, salvo um deslize muito grande do Meireles.

Para tanto, o diretor conclui: A sustentação dos números, podem vir de várias formas. No caso do Edmílson, ele tinha disputado a eleição anterior, onde teve cerca de 49,5% dos votos, ou seja, quase a metade da população esteve com ele, com sua derrota, era natural, que o vencedor, ao assumir, tivesse desgaste, e isso obviamente fortaleceria ele, que perdeu. E foi o que aconteceu. Sem contar, que quanto perguntavámos (uma questão da Pesquisa)... Se o eleitor o achava, honestou ou desonesto, 60,60% foram na primeira opção, isso é um bom número.

Essa e outras variáveis, nos davam a certeza, mesmo há 23 dias atrás, que o pleito estava praticamente decidido. Apesar de que, o termo...decidido...numa campanha eleitoral, é sempre perigoso. Tem que saber jogar o jogo, finaliza o pesquisador.

PORTAL SBN| SISTEMA BRASILEIRO DE NOTÍCIAS

Deixe seu comentário