Estados

  • Contato:
    (73) 99936-1132
    Luscivanio Lopes
  • Contato:
    (27) 99798-9398
    Luscivanio Lopes

Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias

Manchas de óleo atingem praias de Itacaré, no sul da Bahia

Manchas de óleo atingem praias de Itacaré, no sul da Bahia
20 outubro 02:13 2019 Imprimir notícia
Bahia

As manchas de óleo que atingem o litoral do nordeste brasileiro chegaram neste sábado (19) a praias da cidade de Itacaré, no sul da Bahia. Com isso, sobe para 11 o número de cidades atingidas pela substância na Bahia.

De acordo com informações da Marinha, foram encontrados pequenos vestígios de óleo na Praia do Tiririca e Itacarezinho. Ainda segundo a corporação,foi realizada a limpeza da área e recolhimento de amostras para análise.

Após a limpeza da praia, ainda segundo a Marinha, foram contabilizados cerca de 1,5 kg de óleo. Uma equipe da corporação permanece no monitoramento desse trecho do litoral.

O secretário de Meio Ambiente de Itacaré, Marcos Luedy, também confirmou o registro de pequenas manchas nas praias de Itacaré. Ainda segundo ele, todas as praias já estão limpas e, a partir das 5h de domingo (20), uma equipe retornará às praias para monitoramento.

A Marinha informou que, neste sábado, foram realizadas operações de busca no litoral da Bahia, com dois helicópteros e um avião de monitoramento do Ibama, um helicóptero da Petrobras e outro da Marinha. A corporação solicita a todos que avistarem novas manchas que entrem em contato, por meio do número 185, a fim de auxiliar na execução de ações que evitem maiores danos.

As manchas começaram a chegar no estado em 3 de outubro, quase um mês após o início do problema no país. Mais de 150 praias já foram afetadas pelo óleo em todo o Nordeste.

Além de Itacaré, houve registro da substância nas cidades de Vera Cruz, Itaparica, Salvador, Jandaíra, Lauro de Freitas, Conde, Camaçari, Entre Rios, Esplanada e Mata de São João.

Por conta do problema, o Governo do Estado decretou estado de emergência. O decreto irá liberar fundos para as cidades mais prejudicadas, que, até então, têm custeado a limpeza das praias.


Todo o litoral do estado segue sob monitoramento. Representantes de órgãos ambientais, prefeituras, estado e outras entidades, que formam o Comando Unificado do Incidente, têm se reunido diariamente para fazer balanços e pensar soluções para o problema.

Nesta semana, o Ministério Público Federal (MPF-BA) e o Ministério Público do estado (MP-BA) ingressaram com uma ação pública contra a União e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) por causa do óleo. Os órgãos disseram que veem "omissão" na demora em adotar medidas de proteção e que ingressaram com a ação "em decorrência das consequências e riscos ambientais provenientes do vazamento de óleo".

Há registro em todos os nove estados da região. A Bahia foi o último a ser atingido.

Em Salvador, até o momento, cerca de 90 toneladas do material foram retiradas das praias. De acordo com a prefeitura, cerca de 400 agentes de limpeza estão trabalhando neste fim de semana, em regime de 24h, realizando trabalho de pente-fino na retirada de fragmentos que ficaram nas pedras e areias, bem como no monitoramento da chegada do óleo.

Ainda segundo a prefeitura, após ser pesado, o material está sendo encaminhado para um depósito temporário na sede da Limpurb, onde segue até que os órgãos ambientais responsáveis decidam o que será feito com a substância.

PORTAL SBN | COM INFORMAÇÕES G1

Deixe seu comentário