Estados

  • Contato:
    (73) 99936-1132
    Luscivanio Lopes
  • Contato:
    (27) 99798-9398
    Luscivanio Lopes

Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias

Frustrado após papeis ruins em 3 novelas, Bruno Gagliasso ironiza novelas e fala de 'Surubão'

Frustrado após papeis ruins em 3 novelas, Bruno Gagliasso ironiza novelas e fala de 'Surubão'
11 dezembro 10:48 2019 Imprimir notícia
Famosos

No vídeo de apresentação de Bruno Gagliasso como novo contratado da Netflix, uma frase chamou a atenção. Após se oferecer para trabalhar nas séries "Casa de Papel" e "Elite", o ator ouve que pode atuar em outras séries da empresa. E responde: "Não sendo novela.

A piada não foi gratuita. Gagliasso, de fato, estava saturado do seu trabalho como ator de novelas da Globo. Os seus últimos três papéis deixaram saldos muito negativos.

Em "Babilônia" (2015), ele viveu o cafetão Murilo. Amoral e cafajeste, o personagem teve a sua trajetória suavizada após reclamações de espectadores. A novela foi um fracasso e terminou com a mais baixa audiência da faixa das 21h.

Na sequência, o ator foi protagonista em "Sol Nascente" (2016-17).A trama das 18h já começou errada, escalando dois atores importantes, Giovanna Antonelli e Luís Melo, para viverem personagens de um núcleo de japoneses. Ele fez par justamente com Antonelli - um casal que jamais emocionou o público.

Por fim, o ator foi o protagonista de "O Sétimo Guardião" (2018), uma trama com pegada de realismo mágico que não conseguiu encontrar o seu prumo. Gagliasso chegou a manifestar publicamente descontentamento com seu personagem, Gabriel, quando ele castigou Eurico (Dan Stulbach) determinando que o prefeito perdesse o desejo por mulheres.

O interesse em atuar em séries era antigo. O ator fez um ótimo papel como o serial killer Edu em "Dupla Identidade" (2014), de Gloria Perez, mas se frustrou com a não-continuidade do projeto (houve apenas uma temporada).

Hoje muito requisitado para publicidade, Gagliasso se viu menos dependente da Globo e apto a arriscar-se em projetos fora da emissora. Não é o primeiro a tomar esta trilha, já seguida por talentos como Marcos Pigossi, Maria Casadevall e Gabriel Leone, entre outros. Mas é um nome de peso que a emissora carioca está perdendo.

PORTAL SBN| COM INFORMAÇÕES DO UOL 

Deixe seu comentário

SIGA-NOS

Próximos Eventos