Estados

Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias

Metade de vítimas de homicídio usou drogas, mostra pesquisa

Metade de vítimas de homicídio usou drogas, mostra pesquisa

Compartilhe esse post

Saúde

Uma pesquisa do Departamento Médico Legal (DML) em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) mostra que a maioria das vítimas de homicídio na Grande Vitória, principalmente por arma de fogo, usou drogas antes de morrer.

Um estudo aponta que em 485 homicídios, entre e 2013 e 2014, metade das vítimas fizeram uso de algum tipo de droga. A pesquisa foi realizada na tese de doutorado do farmacêutico Evandro Carlos Lebarch, servidor do DML.

Em 2007, o DML já havia apontado que de todas as mortes violentas, 44% das vítimas fizeram uso de cocaína antes da morte. Durante o doutorado, com o aprimoramento das técnicas no laboratório toxicológico do DML nos últimos anos, e com a compra de novos equipamentos, foi possível fazer uma pesquisa inédita e mais detalhada, segundo Lebarch.

COCAÍNA OU CRACK

Dentre as 485 vítimas citadas no início da reportagem, 41% usaram cocaína ou crack, 25% fizeram uso de álcool e 33% usaram álcool com as outras duas drogas ilícitas. Os dados demoraram a ser divulgados por causa do trâmite da tese de doutorado do farmacêutico na Ufes.

Segundo Evandro Carlos Lebarch, o método passou a ser utilizado e solicitado por delegados e médicos legistas após a pesquisa. A pesquisa pode levar a uma melhor identificação na investigação das causas de morte violenta.

“Com o método é possível identificar se as vítimas tinham relação com algum tipo de droga e se estavam sobre efeito de cocaína, álcool ou crack. Alguns médicos legistas têm pedido mais esses exames após a pesquisa, para saber se ocorreu algum envolvimento do tipo”, destaca.

De acordo com o farmacêutico, a maioria das vítimas é de jovens, do sexo masculino e com idades entre 18 e 30 anos. Os estudos foram feitos por meio da coleta de sangue das vítimas de homicídio. No total, 89% dos crimes tinham relação com armas de fogo. O convênio entre a Ufes e o DML também foi feito em outros quatro projetos de pesquisa.

PORTAL SBN | COM INFORMAÇÕES DA RÁDIO CBN-VITÓRIA

Compartilhe esse post

Deixe seu comentário