Estados

  • Contato:
    (73) 99936-1132
    Luscivanio Lopes
  • Contato:
    (27) 99914-9706
    André Oliveira

Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias

Espírito Santo recebe nota máxima no ranking de indicadores do Tesouro Nacional

Espírito Santo recebe nota máxima no ranking de indicadores do Tesouro Nacional

Compartilhe esse post

Economia

O Espírito Santo recebeu a nota máxima do Tesouro Nacional quanto à capacidade de pagamento do Estado. O resultado foi obtido seguindo uma nova metodologia criada pelo Tesouro Nacional, que avalia três indicadores: endividamento, poupança corrente e liquidez. Além do Espírito Santo, apenas o estado do Pará obteve nota 'A'.

O ranking dos Estados foi divulgado pelo Tesouro Nacional, nesta quarta-feira (6), dentro da versão final de 2017 do Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais, que traz dados de 2016. De acordo com os novos critérios do Tesouro, somente quem receber notas finais A ou B poderá obter garantia da União para a contratação de novos empréstimos.

Para o secretário da Fazenda do Estado do Espírito Santo, Bruno Funchal, a nota A do ‘rating’ no Tesouro Nacional é o resultado de um trabalho que vem sendo construindo nos últimos anos.

“Ele é resultado de uma política fiscal correta, consistente e sustentável. Isso demonstra que o ajuste fiscal permite não apenas um controle das despesas do Estado, como também alavancar nossa capacidade de investimentos com recursos próprios, e ainda nos permite acessar linhas de financiamento, com o aval da União, mais atrativas, ou seja, com um custo de captação menor”, afirmou o secretário.

Segundo o Tesouro Nacional, a mudança de metodologia passou por consulta pública e teve por base a simplificação dos cálculos e a redução do número de indicadores, o que deixou o processo mais transparente e acessível.

DEMAIS ESTADOS

Ficaram com a nota B: Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Ceará, Maranhão, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e São Paulo. Especificamente sobre São Paulo, o Tesouro afirma que o Estado possui bons indicadores de poupança corrente e liquidez, mas alto estoque de endividamento.

Receberam nota C: Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, Piauí, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins. De acordo com o Tesouro, parte dos Estados apresenta nota C pelo fraco desempenho do indicador de poupança corrente.

Os casos mais críticos são os do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Ambos os Estados receberam nota final D por possuírem alto endividamento e descompasso entre as receitas correntes e despesas correntes, além de não terem caixa de recursos não vinculados para honrar as obrigações financeiras.

O Estado de Minas Gerais não recebeu uma nota por não haver informações sobre disponibilidade de recursos não vinculados.

PORTAL SBN | COM INFORMAÇÕES DO TESOURO NACIONAL

Compartilhe esse post

Deixe seu comentário