Estados

  • Contato:
    (73) 99936-1132
    Luscivanio Lopes
  • Contato:
    (27) 99914-9706
    André Oliveira

Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias Portal SBN | Sistema Brasileiro de Notícias

Comércio espera contratar 111 mil temporários para o fim do ano

Comércio espera contratar 111 mil temporários para o fim do ano

Compartilhe esse post

Nacional

Quem está desempregado pode garatir uma vaga temporária de fim de ano, com chances de efetivação. Estimativa Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de RH, Trabalho Temporário e Terceirização (Fenserhtt) indica aumento de 10% de contratações em relação ao mesmo período em 2016, somendo 111 mil vagas no comércio.

Já a a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê que 27% dos temporários serão efetivados após o período de festas. Nos últimos dois anos, o percentual de trabalhadores que permaneceram nos postos de trabalho foi de 15%. As informações são do jornal O Globo.

"Já temos um crescimento das vendas do varejo de 1,9% até setembro. Até dezembro, com a aceleração do Natal, esse desempenho deve ser positivo em 2,8%, depois de quedas de 5%, em 2015 e 4,9% em 2016. O setor de vestuário é um dos que mais vem puxando o varejo e historicamente se beneficia das vendas de Natal, quando seu faturamento chega a dobrar. O setor de vestuário e os hiper e supermercados representam 42% da força de trabalho do varejo e chegam a responder por 60% das vendas no Natal", explica o economista-chefe da CNC, Fábio Bentes, em entrevista ao jornal O Globo.

Especialistas alertam, no entanto, que os empregadores não devem ainda adotar medidas previstas pela reforma trabalhista. Apesar das novas regras entrarem em vigor nos próximo dia 11, ainda há incerteza no mercado. "Há muita insegurança das empresas em oferecer as novas modalidades de contrato, como o trabalho intermitente. O que está assustando o varejo é o fato de a Justiça do Trabalho estar contestando o texto da reforma com a elaboração de uma cartilha de novas regras. Ninguém sabe que regras seguir", diz Bentes.

Compartilhe esse post

Deixe seu comentário